Salmo 23 e uma reflexão sobre o perdão

Eu e Valeria estávamos assitindo a uma série de TV e um dos personagens vivia o dilema de ter de perdoar alguém que havia feito algo que inicialmente lhe parecia imperdoável. Lembrei de termos assistido dois dias antes ao ótimo documentário HUMAN, cujo trecho especificamente relacionado ao assunto convido você a também assistir.

Continuando, quero iniciar essa reflexão com um dos capítulos mais conhecidos da Bíblia.

Salmo 23

1 O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.
2 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.
3 Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.
4 Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.
5 Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
6 Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

O trecho que pretendo destacar aqui é o do versículo 5:

Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.

Temos duas formas possíveis para visualizar esse cenário:

  1. estamos sobrepujando os inimigos que contemplam rendidos a nossa vitória, ou
  2. a mesa é preparada diante de nós para que tenhamos a oportunidade de nos reconciliarmos com nossos inimigos

Usualmente entendemos esse trecho como um ato de vitória, de triunfo sobre os inimigos da época. A religião tradicional sempre nos ilustrou essa relação entre Deus e Israel com o primeiro sendo uma espécie de fiador das vitórias e conquistas (obviamente apenas quando o segundo andava na linha).

Você já parou pra imaginar o quão maravilhoso seria poder estar diante dos seus desafetos - talvez "inimigo" seja um termo distante para a maioria de nós - e ter a oportunidade maravilhosa de perdoar e ser perdoado? Expandindo isso ainda mais, para os casos onde perdão não seja o termo mais adequado, já pensou ter a oportunidade de estar diante de todas as pessoas com quem você tenha qualquer tipo de pendência ou algo mal resolvido, e resolver isso de forma plena e consistente?


A psicologia já nos ensinou que perdoar é essencial para uma vida saudável. Retornando a leitura do versículo em destaque, quero crer que o transbordar do cálice que o salmista se refere ilustre essa reconciliação com seus inimigos, até porque não vejo como ele conquistar a bondade e a misericórdia do versículo seguinte sem isso.


Claro que quando falamos de perdão não estou me referindo aquele banal, quando a pessoa comete os mesmos erros incontáveis vezes e pede perdão no automático. Estamos aqui tratando daquele que demonstra uma correção no caminho, numa via que é sempre de mão dupla.


Termino com outra citação bíblica, de Provérbios 16:7:

Sendo os caminhos do homem agradáveis ao Senhor, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele.

Textos Recentes

Salmo 23 e uma reflexão sobre o perdão

Salmo 23 e uma reflexão sobre o perdão

Deixe a revisão
Usualmente entendemos esse trecho como um ato de vitória, de triunfo sobre ...
Leia mais
A crise do COVID-19 pode resolver na marra a educação pública e gratuita do Brasil

A crise da COVID-19 pode resolver na marra a educação pública e gratuita do Brasil

Deixe a revisão
Pessoalmente sempre acreditei que a tecnologia é o que pode nos libertar da...
Leia mais
Santa Teresa e o turismo como fonte de crescimento

Santa Teresa e o turismo como fonte de crescimento

Deixe a revisão
Já temos em Santa Teresa tudo que qualquer cidade sonha para ser destino tu...
Leia mais